Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

tudo muda para que tudo fique igual

14.04.20, P.

Imagino que esta época de pandemia seja terreno fértil para os sociólogos, antropólogos, filósofos e estudiosos da humanidade em geral.  O paradigma mudou e nós estamos a mudar todos os dias também. A globalização, as redes sociais, a cultura e a nossa mentalidade fazem com que esta pandemia seja vivida de forma diferente de todas as outras.

Confesso-vos que achei que o mundo ia mudar. Que tudo ia ter que mudar. Fiquei feliz e orgulhosa quando vi que valorizámos claramente a vida humana em detrimento da economia. Afinal, as vidas mais frágeis conseguiram fazer-nos fechar o país, e cada país fechar-se sobre si mesmo de forma a minimizar o número de mortes. 

As ruas ficaram desertas. A economia passou a cingir-se ao essencial. O supérfluo perdeu lugar e ficou para depois. as empresas foram obrigadas a adaptar-se e o teletrabalho foi posto em prática de um dia para o outro. Tudo começou a mudar e os números começaram a corresponder. Subitamente, nós, Portugal, consegue ter um SNS que consegue corresponder. Muita coisa correu mal? Sim, claro. Mas no geral isto está a correr muita bem. Mas ainda não podemos cantar de galo.

O cansaço começa a acumular-se. Estar em casa, com putos, já não tem assim tanta piada. Esta coisa do isolamento social vai custar mais à medida que a temperatura aumenta lá fora e as contas bancárias começam a sofrer. Como temos muita gente a ganhar mal e porcamente, o lay-off não é assim tão interessante como parece. As empresas entraram em stress imediatamente e o desemprego começa a disparar - e ainda não temos consciência do quanto. A economia sofre. Muito. E a economia somos todos nós. Uns mais do que os outros. Sempre os mesmos, é o costume. Não vai ser fácil para ninguém e vai ser muito complicado para muitos

E como tal a conversa começa a mudar. Começa a questionar-se o valor das vidas. Quer dizer, começa a ouvir-se muito mais a palavra "economia" e que a "economia não aguenta" mas não se põe em causa o modelo de vida que permite que a "economia", os famigerados "mercados", sejam quem continua a mandar nesta merda toda. Os adaptámo-nos mas a "economia" não mudará. E se a economia não muda, nada mudará e assim que esta crise passar - porque vai passar - tudo voltará ao mesmo. Sem tirar nem pôr. E isso deixa-me apreensiva e triste. Porque tudo vai mudar mas tudo ficará igual. Ou quase igual, apenas um pouco pior.

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    P.

    27.04.20

    Ah, diferentes, sem dúvida. Mas melhores? Já acreditei mais
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.