Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

ponto de situação

02.04.20, P.
Ainda não me fartei de estar em casa, ainda não fiz (quase) nada das coisas que gostava de aproveitar para fazer, ainda não entrei em stress, ainda não tenho vontade de matar nenhum dos outros ocupantes da casa. Já devo ter engordado vários quilos porque faço pouco exercício mas imensa comida. Não tive ainda tempo para ver filmes e séries, uns atrás dos outros. Já me habituei a desligar o telemóvel depois do jantar e só o ligar de manhã. Ando a ler, não ao ritmo a que (...)

...

28.03.20, P.
Não sei quanto a vocês mas eu começo a sentir-me sobrecarregada com informação. E ainda assim tenho uma dificuldade enorme em parar de a consumir. Como se saber os números do COVID no nosso e noutros países pudesse ajudar nalguma coisa. Como se ajudasse a ter o controlo sobre alguma coisa. E acabo por ver o mesmo, vezes sem conta. Apetece-me desligar tudo por uns dias. Parar. Ficar em verdadeiro isolamento social. Parece que agora, mais que nunca, a comunicação é uma coisa (...)

A esola acabou. E agora?

27.03.20, P.
Devo começar por dizer que não sou professora nem tenho filhos em idade escolar. Fui aluna durante muitos anos, acompanhei várias crianças ao longo do seu percurso escolar e, como filha, prima e amiga de professores, ouço-os bastante.  Ao longo das últimas semanas tenho ouvido várias opiniões. Tenho ouvido pais cansados com a quantidade de trabalhos que os filhos têm para fazer - e agora que também são meio professores a coisa fica diferente; tenho ouvido professores (...)

da invisibilidade

28.11.19, P.
O que nos leva a fixar alguém no meio de uma multidão? Provavelmente já vos aconteceu. Seja no comboio que apanham todos os dias para o trabalho, no estádio onde têm lugar cativo, na igreja que frequentam semanalmente ou simplesmente no café da esquina, provavelmente já repararam numa pessoa que encontram de forma recorrente e que vos desperta interesse.  Lembro-me de quando morava no outro lado do rio, e todos os dias o atravessava no comboio, encontrar sempre, somos afinal (...)

Como ser invisível em 3 passos

12.11.18, P.
1. Criar todas as contas possíveis e imaginárias nas redes sociais. Privilegiar o facebook e pedir abóboras virtuais aos amigos (cada vez mais) virtuais. 2. Publicar apenas fotos de gatinhos ou outras coisas igualmente chatas - Gatinhos e música de elevador - algo inócuo e não polémico, fazer publicações numa base regular (isto convém ser feito de forma gradual, menos gente dá conta e às tantas já se habituaram a que o teu perfil não tem nada de interesse) 3. Poucas (...)

Disclaimers aos molhos

20.09.18, P.
O tema deste regresso é uma das razões pela qual este blog está quase morto. Não, não é a preguiça, que é obviamente a razão principal para não escrever, nem a falta de tema, apesar de nem sempre poder desabafar por aqui como gostaria (mania da privacidade, confidencialidade a que o meu trabalho obriga e que me inibe de falar sobre as coisas de que realmente sei). O tema deste post é esta obrigação de fazermos declarações de intenção a torto e a direito. Sim, as palavras (...)

cenas da vida moderna

20.06.18, P.
Não és feminista, és feminazi Se não és por mim, és contra mim Se não pensas como eu, estás errada Se defendes os animais... então e as crianças? Se defendes as crianças... então e os velhos? Se condenas uma acção dos EUA... então mas nunca falaste do bangladesh? Se és contra a tourada... então e a tradição? E as crianças? Se partilhas uma notícia que foi divulgada num jornal respeitável... és burra porque acreditas nos media tradicionais e eu é que sei Não (...)

Eutanásia

23.05.18, P.
Vão ser discutidas na próxima semana várias propostas sobre a despenalização da eutanásia e o tema anda a causar furor nas redes sociais e igrejas. Mas como (quase) tudo o que causa furor nas redes sociais (e igrejas) a desinformação é igual ou superior à informação. E este processo de tentativa de aprovação de uma matéria tão importante tem sido o maior exemplo de desorganização deste país à beira mar plantado. Um tema complexo, importante e com consequências tão (...)

Vergonha, assombro, espanto, respeito!

27.03.18, P.
A banalidade com que se pega numa arma e se tira uma vida deixa-me estarrecida. O respeito pela vida nunca foi grande coisa ao longo da história da humanidade mas era suposto que tivéssemos evoluído. Os factos são gritantes. Não só não evoluímos como nem sequer estagnámos. A facilidade com que despersonalizamos os outros, nos sentimos superiores e como tal, sancionamos a sua morte, o seu extermínio é impressionante.  Para o bem e para o mal, os Estados Unidos da América são (...)