Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rabiscos Soltos

Direito a morrer com dignidade

09.02.16 | P.

Somos cidadãs e cidadãos de Portugal, unidos na valorização privilegiada do direito à liberdade. Defendemos, por isso, a despenalização e regulamentação da morte assistida como uma expressão concreta dos direitos individuais à autonomia, à liberdade religiosa e à liberdade de convicção e consciência, direitos inscritos na Constituição.

A morte assistida consiste no ato de, em resposta a um pedido do próprio — informado, consciente e reiterado — antecipar ou abreviar a morte de doentes em grande sofrimento e sem esperança de cura.

 

Começa assim o manifesto pelo "direito a morrer com dignidade". Espero não ter, nunca, que tomar esta decisão. Nem eu, nem os que me estão próximos. Mas gostava muito de ter a hipótese de o fazer. Sentir-me-ia muito melhor sabendo que, depois de lutar até ao fim, me seria permitido partir com dignidade e sem sofrimento.

Odeio ver este assunto transformado em frizbee politíco, banalizado por quem se diz a favor da vida, como se a Eutanásia não fosse um dos mais importantes instrumentos da vida, como se morrer não fosse algo inevitável. Mas se isso é o que precisamos para conseguir despenalizar um direito fundamental, seja. Tentemos apenas não baixar demasiado o nível. 

A persistência da Memória.jpg

 A Persistência da Memória, de Dali