Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

A solidão também mata

27.04.20, P.

Oiço e leio constantemente referências à distância em relação aos mais velhos, à tristeza da sua solidão, à saudade do abraço.

Já me fizeram alguns reparos quando questiono esta distância. Este “não te vou ver porque gosto de ti” faz-me alguma urticária e, no mínimo, questiono-me.

Falamos tantas vezes de dignidade na morte, de dignidade na vida mas não hesitamos em votar ao isolamento aqueles a quem amamos? 

Não estamos a falar de 14 dias. As primeiras semanas foram importantes porque ninguém sabia se tinha estado ou não exposto, precisámos, a todo o custo, achatar a curva, por nós e pelos outros.

Andamos a falar todos os dias de reabrir a economia, que precisamos voltar ao trabalho, que os restaurantes e as pme's e as outras empresas precisam sobreviver. Falamos de proteger grupos de risco. 

Mas eu penso todos os dias no que significa "proteger grupos de risco".

Tenho a minha mãe comigo. Para sua idade faz parte de um grupo de risco. Tenho também um sogro que, não vive comigo, mas que tb pertence a um grupo de risco. 

Não estar com ambos não é sequer opção. Nenhum aguentaria o isolamento, nenhum nós queremos estar longe. Claro que temos cuidados. Obsessão com lavar as mãos, existência de máscaras, álcool gel, etc. Mas mantermo-nos longe? Não é sequer opção.

Para já, estarmos a trabalhar de casa dá-nos algumas garantias. Ou, pelo menos, alguma segurança que, para já, não se tem mostrado falsa. Mas quando regressarmos ao trabalho sabemos que esses riscos vão aumentar substancialmente. E é por isto que me surpreendo sempre como é que tanta gente parece ser capaz de se manter longe dos seus velhos. Isto é mais uma maratona que os 100 metros. Agora é o momento mais seguro para estar com eles. Acho que no próximo ano não vamos ter outro momento tão seguro.

Significa isto que vamos manter longe filhos e pais, netos e avós, durante meses ou anos? E isso em nome da protecção? 

A solidão também mata, nunca se esqueçam. Prevejo que nos vejamos perante decisões difíceis, muito difíceis, nos próximos tempos.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.