Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

um aparte

10.10.17, P.
Quem me conhece sabe que não sou pessoa para me impor a ninguém. Tirando os amigos de casa, aqueles com quem me chateio a sério, com quem grito e admito que me gritem, não sou daquelas amigas cola. Não chateio os meus amigos informáticos quando tenho problemas no computador, não peço receitas nem baixas aos meus amigos médicos. Tento sempre respeitar os outros, dar-lhes a liberdade de ir embora quando querem e sem perguntas. Costumo dizer que não obrigo ninguém a gostar de mim. (...)

Um voto, uma voz

30.09.17, P.
Sempre que há eleições no horizonte tenho uma mega discussão com um amigo que insiste em não votar. Este ano já tinha decidido que não ia embarcar nessa outra vez mas tenho sina, sei lá, e saiu-me outro na rifa... lá houve nova discussão.  Não consigo perceber como é que pessoas da minha idade se demitem de contribuir para a escolha de quem rege a sua vida. Eu sou a favor do voto obrigatório. Acho que apenas assim não votar seria efectivamente um protesto. Como o voto não (...)

Solteiros contra Casados

14.07.17, P.
Confesso que pensei chamar a este post "GALP, BP ou CEPSA" ou "EDP vs Endesa" mas preferi usar uma expressão divertida, que me deixa de bem com a vida e que me faz lembrar um célebre jogo de futebol onde, às páginas tantas  (leia-se "quase no final do jogo"), se reparou que o árbitro estava de chinelos e uma das equipas tinha um elemento a mais. Mas rimo-nos até nos doer a barriga, houve insultos qb (generalizou-se a private joke da aldeia de "solteiros, olé!") e ficou toda a (...)

service not included

03.07.17, P.
Se há coisa que me deixa sempre desconfortável é a questão da gorjeta. Não falo de umas moedas deixadas em cima da mesa após um jantar porreiro. Falo da obrigatoriedade ou não de a dar. Falo de gratificar um serviço que não pedi nem quero (por exemplo que carreguem a minha mochila para um quarto de hotel) ou de um serviço prestado com má cara ou má vontade. Até há pouco a minha ideia de gorjeta era a de pura gratificação e hábito. O empregado de mesa até foi um porreiro (...)

Machismo ao contrário

25.05.17, P.
Não sei qual é o contrário de machismo. Machismo é, por definição, a ideologia que defende que o homem é socialmente superior à Mulher. Ora, como feminismo não defende a superioridade da mulher em relação ao homem, então o feminismo Não é o contrário de machismo. O que hoje li, num site que se assume como feminista e tem, efectivamente, tido um papel importante na luta pela igualdade de direitos, chocou-me. Não pelo conteúdo porque, apesar de não concordar e de me (...)

Urticária mental

01.05.17, P.
Não sou das pessoas com o sentido de humor mais apurado. Não gosto de 90% das comédias, não tenho jeito para contar anedotas nem sou especialmente fã de tal (excepto de piadas secas - adoro) e o humor de que mais gosto é o negro.  Mas se há coisa que me tira do sério é esta mania de que tudo é permitido ao humor e que eu também tenho que achar piada. Sim, defendo que estão à vontade para dizer todas as parvoíces e asneiradas com as quais eu não concordo mas não me venham (...)

expectativas vs realidade

19.04.17, P.
Cresci a pensar que o mundo estava (mais ou menos em paz), que guerras mundiais eram coisa do passado, que já não se morria de coisas como o sarampo, que o mesmo raio não caia na mesma casa duas vezes, que algumas pessoas eram eternas. Cresci a achar que éramos todos iguais, que a cor da pele não interessava nada, que havia liberdade de credo e que a humanidade estava a evoluir. Vai-se a ver e o mundo está à beira de um ataque de nervos, o planeta está pela rua da amargura, o (...)

Bem-vindo à fábrica da saúde

06.04.17, P.
Sou, felizmente, pouco assídua nos hospitais. Talvez por isso me tenha surpreendido um pouco com a versão "linha de montagem" de um conhecido hospital privado (nem vale a pena referir qual uma vez que são, na verdade, todos iguais). A verdade é que ter um seguro de saúde nos poupa imenso tempo. Para além disso, eu considero que devemos, sempre que possível, não sobrecarregar o SNS por dá cá aquela palha (e este meu caso era mesmo uma palha, nem vale a pena falar nisso). Enfim, (...)

Já só falta deixar um paninho para limpar a mesa*

14.02.17, P.
Num café/bar onde um um café custa um euro (ou mais) não é aceitável: copos de plástico talheres de plástico que sejam os clientes a levantar a mesa *se bem que umas tolhitas para que pudessemos limpar/desinfectar a mesa ANTES não era má ideia, que cada vez que vejo os panos usados para as "limpezas" tenho vontade de me ir embora na hora...

Multifacetado

15.04.16, P.
Sempre admirei os trabalhadores-estudantes, quem acumula empregos, quem tem tempo (e acima de tudo vontade) para ações de voluntariado. Mas olhem que não sei como alguns aguentam. Assim de repente, ser administrador disto e daquilo, dono disto e daquilo e ainda fazer uns favores ao país onde vive? O dia do querido DLM é de quantas horas mesmo? Não é mocinho que durma? Anda a fugir da cara-metade, filhos e afins? Mais do que saber quanto vai ganhar pelo contrato que vai fazer o (...)