Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

Rabiscos Soltos

#FIquemEmCasa Em tempos de isolamento social um blog pode ser uma janela para mundo. Fiquem em casa. Leiam. Escrevam. Ajudem. Sejam melhores. Sejam maiores. Mas fiquem em casa.

12 horas

27.11.15, P.

Passei as últimas semanas a lutar contra o tempo e a perder miseravelmente. Consegui, a muito custo, arranjar tempo para tudo o que considerei realmente urgente mas, como me ensinou o meu primeiro chefe, "o urgente não nos deixa fazer o importante". E às tantas esqueci-me por uns tempos do quão importante é o tempo para mim. Durante semanas saí de casa às 7h e regressei por volta das 20h, às vezes mais tarde. Os jantares eram comprados na churrasqueira da rua (Sr. Vasco, não me leve a mal mas enjoei todos os v/ pratos) ou no restaurante que tem take away. Trabalhei, fui filha, esposa, amiga, só não fui eu própria. Porque o meu eu desistiu ao fim dos primeiros 7 dias sem dormir decentemente ou sem passar umas horas em amena cavaqueira consigo mesmo. Admiro as pessoas que conseguem sobreviver sem dormir, sem o silêncio de umas horas para si, sem terem um dia de pijama em casa - sem fazer nenhum. Eu não consigo. Quer dizer, consigo, claro, mas sou tão infeliz que vocês nem imaginam.

Ontem as coisas acalmaram. Saí do trabalho a horas e tinha liberdade para fazer o que me apetecesse: passei pela livraria para comprar o livro do clube de leitura da próxima semana, cheguei a casa cedo e estive a ler um bocado. Quando ele chegou fizemos o jantar, rimos e conversámos e ele avisou-me: "olha, ainda tenho que trabalhar um bocadinho". "Por mim tudo bem, TV fechada e vou aproveitar para continuar a ler"...

Acabei por aterrar no sofá às 21h e adormecer profundamente. Mal me lembro de ir para a cama. Acordei às 09h da manhã e tenho o dia todo à minha frente só para mim. 

Dormi 12 horas e sou eu novamente. 

 

(O meu corpo tem uma forma estranha de fazer "reset". Na (psicologicamente) pior fase da minha vida "dei" a volta à coisa quando "apaguei" por 24 horas. Nessa altura descobri o quão perigoso é não dormir. Ainda não sabia nada acerca de ciclos circadianos nem nada do género mas o meu corpo limitou-se a fazer o queria - dormir. Tenho imensa sorte por ter esta facilidade para dormir, senão acho que já tinha entradado em curto-circuito em determinadas fases

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.