Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rabiscos Soltos

Rabiscos Soltos

Tenho para mim que sou um caso clínico

Vivemos agarrados à internet, consumimos opiniões, notícias, imagens à velocidade máxima. As notícias, as polémicas, as palavras desaparecem numa questão de segundos. E se por um lado nada tem realmente importância - eu certamente não sou o centro do mundo e estou desconfiada que vocês também não - por outro lado um desabafo, uma palavra fora de tom, uma fotografia mal tirada, uma opinião contra-corrente pode condicionar e deixar uma marca permanente. Ao mesmo tempo nada tem importância e tudo atinge uma importância desmedida. Cada vez mais vivemos para os outros e menos para nós. Cada vez mais precisamos da aprovação dos nossos e cada vez mais nos convencemos que o nosso grupo fechado e limitado tem todas as respostas. Expomo-nos de uma maneira aberrante. Expomo-nos de uma maneira estúpida. E a mim parece-me sempre que há quem não tenha noção disso.

"Levas o facebook demasiado a sério" - esta é uma frase que oiço regularmente. E é verdade. Levo-o a sério porque o vejo como uma ferramenta de comunicação espantosa. E perigosa. Ponho muito pouca coisa no meu facebook. Mas a verdade é que, onde quer que eu vá, todos conhecem o meu gato. "há muito tempo que não pões fotos do teu gato", "só pões fotos do teu gato", "o teu gato é lindo". Questiono-me o que dizem às pessoas que passam a vida a pôr fotos suas com pernas e mamas à vista.... Incomoda-me que algumas pessoas achem que me conhecem, que conhecem a minha vida, só porque têm acesso ao meu facebook. Incomoda-me que outras pessoas ponham fotos minhas (mesmo que completamente inocentes e em grupo) num mural que nem sequer é o meu. Incomoda-me que me identifiquem e incomoda-me que não o façam. Ok, sou um bocado paranoica com o facebook, admito.

E no entanto tenho 2 blogs. Sou um caso perdido de incoerência. Mas em minha defesa digo-vos que o blog dos livros é mais ou menos inofensivo (ainda assim, raramente qualquer post que lá escrevo acaba no facebook e em 90% dos casos em que isso acontece não eu que faço essa ligação) e ainda assim é desconhecido da maioria das pessoas que conheço pessoalmente (e convenhamos que quem gosta de livros por norma não me assusta). E este blog quando começa a ser mais conhecido muda estrategicamente de plataforma, nome, etc. E tem um email associado diferente do outro ou do facebook. E em caso de "perigo" auto destrói-se em 5 segundos. 

Começo a acreditar que sou um caso clínico...

publicado às 13:21

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D